image

O América encara o Cruzeiro, no próximo sábado (6), às 19h, no Mineirão, precisando de uma vitória por pelo menos dois gols de diferença para ser finalista do Módulo I do Campeonato Mineiro.

No próximo domingo (7), o Boa Esporte estará também no Gigante da Pampulha, a partir das 16h, enfrentando o Atlético, obrigado a vencer por qualquer placar para chegar à decisão.

Além dessa desvantagem, os dois visitantes nas partidas de volta das semifinais do Estadual ainda têm de brigar contra uma longa escrita. Desde 1957 a competição não tem uma decisão direta, entre dois clubes, sem que Atlético ou Cruzeiro esteja presente.

Em 1957, como vencedores de cada um dos turnos do Campeonato Mineiro, América e Democrata de Sete Lagoas fizeram a decisão do título numa melhor de três, vencida pelo Coelho e com todos os jogos disputados no Estádio Independência.

Desde aquela final, em que o Coelho levou a melhor sobre o Jacaré, já foram disputadas 61 edições do Estadual. Em 29 delas, o título foi decidido em confrontos diretos entre dois clubes. E sempre Atlético ou Cruzeiro estiveram presentes, sendo que em 19 oportunidades foram eles os dois finalistas.

História
Dentro dessa escrita que América e Boa Esporte tentam derrubar no próximo fim de semana, há ainda outra, e ela está diretamente ligada ao Gigante da Pampulha, local dos confrontos deles contra Cruzeiro e Atlético, respectivamente.

Na chamada Era Mineirão, iniciada em 1965 com a inauguração do estádio, o Campeonato Mineiro só não teve atleticanos ou cruzeirenses entre os dois primeiros colocados da competição em uma edição. A de 2002, vencida pela Caldense com o Ipatinga como vice-campeão.

Mas ela não pode ser considerada, pois não contou com os clubes da capital, além do Mamoré, de Patos de Minas. Durante o Estadual, eles disputaram a Copa Sul-Minas, vencida pelo Cruzeiro. Depois, participaram do Supercampeonato Mineiro, também conquistado pela Raposa, competição que contou ainda com a presença da Caldense.

A última vez que o Campeonato Mineiro não teve atleticanos ou cruzeirenses entre os dois primeiros colocados, desconsiderando 2002, já que eles não participaram, foi em 1964. Naquele ano, numa competição disputada por pontos corridos, o Siderúrgica, de Sabará, foi o campeão, com o América ficando com o vice.

Era Mineirão
A chamada Era Mineirão tem em 2019 a 55ª edição do Estadual. Nas 53 delas que contaram com Galo e Raposa, pois 2002 não entra nessa conta, além de pelo menos um dos dois ser, no mínimo, vice-campeão, eles ficaram com a taça por 48 vezes.

Isso indica que a cada dez campeonatos mineiros, na Era Mineirão, nove foram conquistados por Cruzeiro ou Atlético. Este número de 48 conquistas da dupla é formado pelos 26 títulos cruzeirenses e 22 atleticanos.

No período, o América foi campeão quatro vezes, tendo a Raposa como vice em uma delas e o Galo em três, e o Ipatinga uma, numa época em que era filial do Cruzeiro e o superou na decisão.

Definitivamente, América e Boa Esporte entram em campo no próximo fim de semana, nos duelos de volta das semifinais do Campeonato Mineiro, tentando fazer história.

Com reportagem do Jornal Hoje em Dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s